sexta-feira, 22 de março de 2013

TRABALHOS SOBRE O MARe me uni ao mar, ao vento e à lua.


“ Quem me dera ter poderes, e ao tocá-lo

Como o fez Moisés, tuas águas separar

E entre paredes, segura atravessá-lo

Para bem de perto, ver aquele olhar. ”

Com certeza o mar desperta muitos sentimentos profundos e emociona a todos, para quem pretende aventurar-se no mundo literário, uma boa dica é sentar-se numa praia em pleno dia de sol e águas tranquilas, e deixar as ideias fluírem e navegarem por mundos antes inimagináveis.


A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal.


Mar!

Tinhas um nome que ninguém temia:

Era um campo macio de lavrar

Ou qualquer sugestão que apetecia...

Mar!


      
Tinhas um choro de quem sofre tanto


Que não pode calar-se, nem gritar,

Nem aumentar nem sufocar o pranto...

Mar!

Fomos então a ti cheios de amor!

E o fingido lameiro, a soluçar,       

Afogava o arado e o lavrador!

Mar!

Enganosa sereia rouca e triste!

Foste tu quem nos veio namorar,

E foste tu depois que nos traíste!

Mar!

E quando terá fim o sofrimento!

E quando deixará de nos tentar

O teu encantamento!

 

 

Miguel Torga, Poemas Ibéricos


 
 


sábado, 16 de março de 2013

sexta-feira, 15 de março de 2013

terça-feira, 12 de março de 2013

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013


Semana da Leitura 2013

Nesta 7ª edição da Semana da Leitura, centrada na temática do MAR, o Plano Nacional de Leitura, em parceria com a Estrutura de Missão para Extensão da Plataforma Continental (EMEPC) e com o apoio do Banco Popular, lança a todas as escolas o desafio de tornarem a leitura e os livros presentes em toda a parte.

Entre 11 e 15 de março de 2013, esta iniciativa convoca a leitura para mostrar a relevância histórica e cultural do mar na construção da identidade do povo português, ajudando a (re) descobrir a pluralidade de dimensões do mundo.

O desafio é lançado a partir de um conjunto de motes, devendo cada escola/ agrupamento de escolas escolher um ou vários em função do seu projeto, e dinamizar iniciativas/ atividades de promoção de leitura que envolvam as crianças, os jovens, assim como diversos sectores da comunidade.
 
                                                             NAVEGAR NOS LIVROS
LEITURAS EM MAR ALTO
MERGULAR NAS PALAVRAS
EM MARÉ DE LEITURA
NA ROTA DAS PALAVRAS
MAR ARTE
MAR E MAR HÁ LER E RIMAR!
CULTIVAR O MAR
NA ONDA DAS LEITURAS
LER AZUL
EMBARCANDO NAS PALAVRAS
 
Estes motes deverão ser encarados como catalisadores de iniciativas, que traduzam saberes e competências da população escolar, numa articulação transversal do (s) currículo (s), desafiando a imaginação e a criatividade.
As iniciativas/ atividades a desenvolver deverão ser enquadradas por áreas diversas, como as que se sugerem:

Oceanos/ Fauna / Flora / Povos / Recursos Naturais/ Sustentabilidade do Planeta/ Energia/ Vida/ Ambiente/ Planeta Azul/ Consumo/ Tecnologias/ Profissões / Gastronomia/ Moda/ Arte/ Turismo/ Saúde/ Lazer/ Transportes…

No âmbito da Semana da Leitura, será promovido o Concurso «Eu Escrevo» que, mais uma vez, apela à imaginação e a um conjunto de competências muito diversificado enraizadas na transversalidade curricular e que se centrará, tal como esta edição da Semana da Leitura, na relação LEITURA – MAR.

O Concurso, que tem uma abrangência nacional, terá como público-alvo as crianças e jovens da educação pré-escolar ao 12º ano de escolaridade, sendo convidados os estabelecimentos de educação e de ensino das redes pública e privada.

Sugestões:

O desenvolvimento de atividades realizadas no âmbito da Semana da Leitura poderá beneficiar, entre outras, com as sugestões de atividades propostas no Kit do Mar disponíveis no sítio eletrónico da EMEPC , apresentadas em fichas como “Mergulhar com a Menina do Mar”, “A arte e o mar!” ou “Mar de palavras”.

 

domingo, 27 de janeiro de 2013

Página de Diário

2 de Novembro

   Hoje é dia dos mortos, e hoje faz exatamente sete anos desde que tu partiste... E lembro-me de tudo como se fosse ontem. Os nossos momentos, as nossas promessas, o teu cheiro… E acho que nunca serei capaz de deixar de te amar.

   Fui com a Camila ao cemitério, enquanto escolhia as flores, disse à nossa neta para ir ao café comprar algo. Ela demorou uma eternidade até chegar, é uma reguila. Está tão crescida! Como eu gostaria que estivesses cá para a ver. Ao entrarmos no cemitério vi que Camila estava com um olhar inocente de jovem apaixonada e suspirei fundo e disse:

   -Quem me dera ter a tua idade!

   Senti o encosto dela junto a mim quando me apertou o braço. Fomos as duas em silêncio até à tua campa, e quando lá chegámos senti um nó na garganta como se tivesse prestes a afundar-me em lágrimas. Camila estava com a cabeça nas nuvens, tão distraída que nem reparou. Não sei o que se passa mas suponho que seja da idade. Há momentos em que gostaria de voltar o tempo atrás, faria qualquer coisa para te ver mais uma vez… Embora estejas no céu, estás sempre comigo.
Beijos, Joana.
Trabalho Realizado por: Laura Andries, 8ºA (Oficina da escrita - “página de diário”)